Hábitos e costumes antigos de Lammas



Na Suécia, a mulher do fazendeiro utiliza os grãos do último feixe para preparar um pão na forma de uma menina; esse pão é dividido entre toda a família e por ela comido. No caso, o pão representa o espírito dos grãos, concebido como uma menina, tal como na Escócia ele é concebido e representado pelo último feixe, ao qual é dada a forma de uma mulher e o nome de "a virgem".



Como de hábito, acredita-se que o espírito dos grãos esteja no último feixe, e comer o pão feito desse grão é, portanto, comer o próprio espírito dos grãos. No caso, o espírito é representado e comido sob forma humana. Em outros casos, embora os grãos novos não sejam cozidos em pães de forma humana, ainda assim as cerimônias solenes com as quais é comido bastam para indicar que isso se faz sacramentalmente, isto é, como o corpo do espírito dos grãos. As cerimônias seguintes, por exemplo, eram observadas pelos camponeses lituanos ao comerem o grão novo. Mais ou menos na época da semeadura do outono, quando todo o cereal já fora colhido e a debulha já havia começado, todo fazendeiro dava uma festa chamada saba-rios, isto é, "a mistura ou reunião".


Tomava nove bons punhados de cada espécie de grão — trigo, cevada, aveia, linho, feijões, lentilhas, etc, dividindo cada um deles em três partes. As vinte e sete porções de cada cereal eram então lançadas num monte e misturadas. Devia ser usado o cereal que primeiro houvesse sido debulhado e joeirado, que era posto de lado e guardado com esse objetivo. Parte dele, depois de misturado, era empregado no preparo de pequenos pães, um para cada membro da família; o resto, depois de lhe ser acrescentada mais cevada ou aveia, era transformado em cerveja, cuja primeira fermentação era bebida pelo fazendeiro, por sua mulher e por seus filhos; a segunda fermentação era para os empregados. Pronta a cerveja, o fazendeiro escolhia uma noite em que nenhum estranho era esperado. Ajoelhava-se diante do barril de cerveja, enchia um jarro da bebida e, derramando-a na rolha do tonel, dizia: "Ó terra fértil, faze com que o centeio, a cevada e todos os tipos de grão floresçam". Levava em seguida o jarro para a sala, onde sua mulher e seus filhos esperavam. No chão da sala havia um galo preto, branco ou pintalgado (não

vermelho) e uma galinha da mesma cor e da mesma raça, que deviam ter sido chocados naquele ano.


O fazendeiro ajoelhava-se, com o jarro na mão, agradecia a Deus pela colheita e pedia uma boa colheita no ano seguinte. Todos levantavam as mãos e exclamavam: "Ó Deus, e tu, ó terra, recebei este galo e esta galinha como uma oferenda de boa vontade". Com isso, o fazendeiro matava as aves com golpes de uma colher de madeira, pois não podia cortar-lhes a cabeça. Finda a primeira oração e mortas as aves, ele jogava fora um terço da cerveja. Sua mulher cozinhava então as vítimas num recipiente novo, ainda não utilizado, depois do que era colocada no chão uma vasilha com a capacidade de um alqueire, com o fundo para cima, e, sobre ela, eram dispostos os pequenos pães já mencionados e as aves cozidas. Trazia-se então a cerveja nova, com uma concha e três canecas que só eram usadas nessa ocasião. O fazendeiro colocava a cerveja nas canecas, usando a concha para servi- la, e a família se ajoelhava em volta da vasilha que estava no chão. O pai fazia uma oração e bebia das três canecas de cerveja. Os demais seguiam- lhe o exemplo. Eram então comidos os pães e as aves, depois do que a cerveja voltava a ser tomada, até que cada uma das três canecas tivesse sido esvaziada nove vezes. Não podia sobrar nenhuma comida, mas, se isso acontecesse, era consumida na manhã seguinte com as mesmas cerimônias. Os ossos eram dados ao cachorro, e se não os comesse todos, o restante era enterrado sob o esterco no curral.





Receita de pão para fazer na celebração de lammas


INGREDIENTES

  • 2 ovos

  • 500 g de farinha de trigo

  • 1/2 copo de óleo

  • 1 e 1/2 xícara de leite morno

  • 1 colher (sopa) (rasa) de açúcar

  • 1 colher (sobremesa) (rasa) de sal

  • 1 e 1/2 envelope de fermento biológico seco (aproximadamente 15 g)


MODO DE PREPARO


  1. Em uma bacia grande, coloque primeiro os ovos e bata com auxílio de um garfo.

  2. Em seguida, acrescente todos os ingredientes.

  3. Caso seja necessário, acrescente um pouco de farinha de trigo até soltar das mãos.

  4. Sove a massa por 15 minutos até que fique bem uniforme.

  5. Faça pequenas tirinhas e enrole os pãezinhos no formato que desejar.

  6. Coloque os pãezinhos em uma assadeira, não precisa untar.

  7. Deixe descansar até dobrar de volume e asse em forno médio (180° C), preaquecido, por aproximadamente 30 minutos.


Agora é so abrir aquela cerveja e celebrar lammas do seu jeitinho, que seja dançando, cantando, saboreando pão e a cerveja e fazendo seus agradecimentos


Cacau Pires

Blessed Be


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo