Nosso objetivo

O objetivo principal do Festival é transmitir a importância de integrarmos a consciência da essência divina feminina em todxs nós, para que ela possa, finalmente, empregar seu papel: a transformação pelo amor. Primeiramente, no espectro pessoal e, aos poucos, cada integrante ajudando a atingir cada vez mais níveis superiores da sociedade.

c8d1d0f5-81e7-471f-a672-3a1af283ea4d.jpg

Como funciona

Essa nossa proposta de realizar o Festival de acordo com essas celebrações vem junto com o trabalho realizado com o projeto Refletindo a Deusa, no qual em cada celebração da Roda do Ano, realizamos pequenos rituais de integração com a passagem da natureza e aquilo que vivenciamos internamente. Acreditamos que esses rituais possam trazer uma cura não somente a nível pessoal, como também a nível planetário, pois estamos cada vez mais em desconexão com essa sacralidade da Terra, trazendo o desrespeito a esse ser divino que nos acolhe, abriga e nos alimenta. Essas sintonizações, então, nos permitem recobrar a consciência da inteireza entre nós e todo o meio que nos cerca.

As apresentações no Festival proporcionam uma conexão completamente integral (corporal, mental, emocional e espiritual), com a Consciência da Deusa, por meio de palestras e workshops (todos vivenciais); Danças; Músicas; Feira de Artesanatos e medicinas naturais.

Encontro com o feminino e o masculino

Celebrações do ritmo de Gaia

Sustentabilidade e pegada de carbono

Saiba mais

Turismo Holístico

Saiba mais

Nossa missão

Encontrar a harmonia com o feminino dentro de nós e na Terra, dar voz às mulheres e homens que trabalham em prol do cultivo do amor e da evolução o ser humano. 

Divulgar e fortalecer a sustentabilidade no planeta e incentivar o turismo holístico no Brasil. 

DEUSA.png

Um pouco de nossa história

06122019-L99A9814.jpg

O formato em que o Festival acontece é baseado nos ritos de passagem da natureza: estações e interestações. Então, os temas apresentados são pertinentes a esse “caminhar da Deusa” pela Terra, onde estamos “plantadxs”.
Todas essas transformações da Natureza se encontram conectadas às nossas transformações internas. E é nisso que o Festival é baseado. Ele tem como objetivo integrar esses saberes ancestrais de conexão com a natureza.

Por exemplo: no ano passado (2018), realizamos o Festival no dia 02/11, honrando Samhain - uma celebração que honra os ancestrais, quando os véus entre os mundos estão mais tênues e é possível acessá-los mais facilmente. Momento em que a Terra vai adentrando pouco a pouco na escuridão, antes de, finalmente, chegar ao inverno. Esse é o dia das Bruxas, honrando, portanto, o hemisfério norte (origem das celebrações da Deusa - a Roda do Ano).
Nos dias 03 e 04/11, celebramos Beltane - celebração que honra o casamento sagrado entre o Deus e a Deusa. Momento em que a Terra já floresceu por completo, saindo da primavera e cada vez mais aquecida pelo sol que está quase em seu ápice. Essa celebração, portanto, pertinente ao que acontecia aqui no hemisfério sul.
 

Ano de 2019, o Festival aconteceu nos dias 06 e 07 de dezembro 2019 e honramos Yule (Inverno/ Natal) - momento em que a Terra já adentrou na mais profunda escuridão e já começa a sentir o Sol voltar pra mais perto dela. É um momento onde a Anciã é honrada e, finalmente, nos despedimos dela. Nos calamos e ficamos imersos em nossos templos para meditar, encontrar a sabedoria da voz interna, e saber que a esperança está renascendo junto com o Sol, que volta a aquecer levemente a Terra. Essa celebração, portanto, foi na sexta-feira, dia 06/12, em honra ao que ocorre no HN. 
E terminaremos celebrando Litha (Verão) - celebração que festeja o Sol e todo o seu potencial. Foi o momento em que amadurecemos e celebramos esse amadurecimento com muita alegria, pois sabemos que a partir desse amadurecimento, gestaremos frutos abençoados. Essa, portanto, foi no Sábado dia 07/12, energia pertinente ao que estará acontecendo aqui no HS.
A cada ano, faremos o Festival seguindo essa Roda da Deusa, com celebrações e temas diferentes, pertinentes a este mágico “caminhar” cíclico. 

Essa nossa proposta de realizar o Festival de acordo com essas celebrações vem junto com o trabalho realizado com o Refletindo a Deusa, onde em cada celebração, realizamos pequenos rituais de integração com a passagem da natureza e aquilo que vivenciamos internamente. Acreditamos que esses rituais possam trazer uma cura não somente a nível pessoal, como também a nível planetário, pois estamos cada vez mais em desconexão com essa sacralidade da Terra, trazendo o desrespeito a esse ser divino que nos acolhe, abriga e nos alimenta. Essas sintonizações, então, nos permitem recobrar a consciência da inteireza entre nós e todo o meio que nos cerca.

As apresentações no Festival, proporcionam uma conexão completamente Integral (corporal, mental, emocional e espiritual) com a Consciência da Deusa, por meio de palestras e workshops (todas vivenciais); Danças; Músicas; Feira de Artesanatos e medicinas naturais.

@s palestrantes convidadxs vêm nos mostrar as várias faces da Deusa em nosso caminhar, as várias formas de acessá-las e de trabalhar com elas. São guerrilheirxs nesse processo de retorno à sua essência divina feminina, que nos dão as mãos e nos guiam para este caminho de guerrilha amorosa, para que juntxs realizemos essa (re)integração total da sua energia, em total equilíbrio com a polaridade oposta, unindo o feminino e o masculino, A Deusa e o Deus.  

FINAL_2020_Festival-da-Deusa-logo.png